segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Natal CESOriano - relato parte 3

Domingo, dia 18, começou com dúvidas quanto à viabilidade de nossa operação. Chovera muito durante toda noite anterior e de madrugada a chuva, por mais que tenha abrandado, continuara a saturar o solo.

Esperamos o máximo que pudemos para decidir com segurança, cercando-nos de inúmeras informações, desmobilizando os voluntários que subiriam para dar apoio no domingo para que evitassem as estradas em condições perigosas... mas como deixar mais de 60 crianças frustradas em suas expectativas?

Como deixar de aproveitar o Natal Móvel para sondar as estradas de terra do interior para termos uma dimensão do obstáculo a ser superado nas próximas chuvas?

Dentro do horário limite a equipe da festa na Escola Municipal João de Almeida - a mesma atendida por nós no dia das crianças e que adotamos em nossa mente-coração -, partiu para realizar o tão esperado natal.








A festa foi linda e reafirmou o laço do CESO com a escola e suas crianças.

A equipe do "Natal Móvel" por sua vez encontrou muito mais do que esperava ver e, por isto mesmo, deixou de ver quem tanto esperava: das cinco rotas previstas, quatro estavam obstruídas por queda de barreiras, o que isolou por completo os "bairros" de Córrego Frio e Jardim Suíço, impedindo-nos de levar cestas básicas, presentes e panetones para famílias necessitadas da região, entre eles uma senhora acamada que necessita de ajuda integral.


É sempre bom checar os buracos antes de entrarmos de cabeça em um caminho sem volta...

...nesta cratera até que deu para passar, mas na barreira seguinte não e assim tivemos que voltar sem atender às famílias de Córrego Frio e Jardim Suíço.


O sucesso da equipe móvel se fez no mapeamento das quedas e no encontro com famílias distantes, assistidas pela única rota ainda (mais ou menos) transitável.





O ponto negativo foi que um dos dois jipes, ao abastecer no posto sem bandeira (mas com combustível originário da Ipiranga) que fica na RJ-130 no retão do hotel Baviera, passou a ter problemas de carburação rodando a baixa potência até que finalmente parou de funcionar no retorno ao Rio, tendo que ser rebocado até um posto próximo para que misturasse gasolina de boa qualidade.

Fica a dica então de não se abastecer no referido posto - que devolveu o dinheiro após o motorista do jipe argumentar com o funcionário do posto a cerca dos desdobramentos com a justiça e a denúncia à ANP.

O retorno ao Rio foi debaixo de muita chuva e tráfego intenso, como as emoções vividas por todos os integrantes, voluntários que sairam de si para se encontrarem no sorriso de uma criança.

E isto não tem preço; tampouco é difícil de descrever. O Amor transpõe todas as barreiras.


Tem que estar junto para vivenciar.



Fica o convite: aliste-se no CESO e seja mais um soldado do bem.

Um comentário:

  1. Showww! Ler e imaginar é uma forma de ter participado...
    Parabéns pessoal!

    ResponderExcluir